Esta semana, o presidente e a vice-presidente da Transparência e Integridade foram recebidos por uma delegação da ONU que veio a Portugal avaliar de que forma estamos a implementar a Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção.

No encontro foram discutidas as falhas na prevenção, a incapacidade das instituições se defenderem contra riscos de abuso, a falta de vontade política para encarar o problema de frente adotando uma estratégia nacional contra a corrupção que nos permita defender a qualidade da nossa democracia.

Este trabalho, quase invisível, que fazemos junto de avaliadores estrangeiros é uma parte crucial da nossa missão. Os relatórios de avaliação destas instituições internacionais criam pressão externa sobre os responsáveis políticos para que atuem nos compromissos internacionais de combate à corrupção.

O ponto de vista da sociedade civil faz o contraponto ao retrato risonho que geralmente é feito pelos políticos, pelo que é crucial sermos ouvidos nestes fóruns internacionais.

Artigo do Jornal Público dando nota da reunião.