A Transparência e Integridade lançou o site do projeto Pacto de Integridade, que permite acompanhar de perto a evolução das obras de conservação e restauro do Mosteiro de Alcobaça: a Porta Conventual e Loja, e as Fachadas Poente e Norte. Este é o primeiro projeto do Pacto de Integridade em Portugal.

Trata-se de uma ferramenta criada nos anos 1990, pela Transparency International, cujo objetivo é assegurar os mais elevados níveis de transparência e integridade nos processos de contratação pública. Um dos principais desafios desta ferramenta é o reforço da participação cívica, para que os cidadãos possam estar seguros de que o dinheiro dos contribuintes está a ser bem aplicado, de forma limpa, transparente e que cria benefícios para as comunidades, neste caso em particular em duas obras de conservação e restauro no Mosteiro de Alcobaça.

Galeria de imagens e media kit

No novo site, poderá ver uma galeria de imagens de alta resolução e uma série de vídeos de apresentação do Pacto de Integridade. Está também disponível documentação variada, desde panfletos informativos a documentação mais técnica, como relatórios de progresso das obras, além de um media kit, que permite à imprensa saber tudo sobre o Pacto de Integridade.

 

Acompanhe a evolução das obras

Quem visita o nosso site pode acompanhar, através de duas timelines interativas, a evolução das intervenções no Mosteiro de Alcobaça, desde todas as fases do processo de contratação pública ao desenvolvimento da obra.

Além disso, qualquer irregularidade detetada neste processo pode ser denunciada, de forma completamente anónima e confidencial, através do canal de denúncias da Transparência e Integridade.

Quem somos e o que fazemos?

A Transparência e Integridade | Transparency International  Portugal foi fundada em 2010 e é o capítulo português da Transparency International, rede global de organizações da sociedade civil contra a corrupção, presente em mais de 100 países em todo o mundo. A associação trabalha pela promoção de políticas públicas de acesso à informação, reforço da Transparência do Estado, das empresas e das organizações do Terceiro Sector e por medidas eficazes de prevenção e combate à corrupção e abuso de poder.

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) é responsável pela gestão do património cultural em Portugal continental. Trata-se de uma equipa alargada, cobrindo praticamente todos os domínios técnicos e científicos e estruturada funcionalmente em serviços centrais, sediados em Lisboa, e em Museus, Monumentos e Palácios, localizados em diferentes pontos do país, e assegura um vasto leque de funções e disponibiliza um vasto conjunto de serviços.